27 de abr de 2017

Exposição - CÍCERO DIAS – UM PERCURSO POÉTICO


CÍCERO DIAS – UM PERCURSO POÉTICO 

O CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil) São Paulo, Traz à São Paulo a exposição: CÍCERO DIAS – UM PERCURSO POÉTICO

Foto Divulgação

A exposição CÍCERO DIAS – UM PERCURSO POÉTICO, apresenta as Obras de Cícero Dias, contextualizando sua história e evidenciando sua relação com poetas e intelectuais brasileiros e sua participação no circuito de arte europeu. Além das obras, a exposição exibe também cartas, textos e fotos de Manuel Bandeira, Gilberto Freyre, Murilo Mendes, José Lins do Rego. Mário Pedrosa, Pierre Restany, Paul Eluard, Roland Penrose, Pablo Picasso, Alexander Calder, entre outros. São mais de 120 obras de grandes coleções públicas e privadas brasileiras e de outros países como Austrália, China e França.

Quando: 21/04/2017 à 03/07/2017

Onde: Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo

Rua Álvares Penteado, 112 - CentroCEP: 01012-000 | São Paulo (SP)(11) 3113-3651ccbbsp@bb.com.brFuncionamento: de quarta a segunda, das 9h às 21h.

Fonte: ccbbso@bb.com.br


O Artista:


Cicero dos Santos Dias – Nasceu na Cidade de Pernambuco, Município de Escada em 1907 e morreu na França, na cidade de Paris em 2003. Pintor, gravador, desenhista, ilustrador, cenógrafo e professor. Inicia estudos de desenho em sua terra natal. Em 1920, muda-se para o Rio de Janeiro, onde matricula-se, em 1925, nos cursos de arquitetura e pintura da Escola nacional de Belas Artes (Enba), mas não os conclui. Entra em contato com o grupo modernista e, em 1929, colabora com a Revista de Antropofagia.

Em 1931, no Salão Revolucionário, na Enba, expõe o polêmico painel, tanto por sua dimensão quanto pela temática, Eu Vi o Mundo... Ele Começava no Recife. A partir de 1932, no Recife, leciona desenho em seu ateliê. Ilustra, em 1933, Casa Grande & Senzala, de Gilberto Freyre (1900- 1987). Em 1937, é preso no Recife quando da decretação do Estado Novo. A seguir, incentivado por Di Cavalcanti (1897-1976), viaja para Paris onde conhece Georges Braque, Henri Matisse, Fernand Léger e Pablo Picasso, de quem se torna amigo. Em 1942, é preso pelos nazistas e enviado a Baden-Baden, na Alemanha. Entre 1943 e 1945, vive em Lisboa como Adido Cultural da Embaixada do Brasil.

Retorna a Paris onde integra o grupo abstrato Espace. Em 1948, realiza o mural do edifício da Secretaria das Finanças do Estado de Pernambuco, considerado o primeiro trabalho abstrato do gênero na América Latina. Em 1965, é homenageado com sala especial na Bienal Internacional de São Paulo. Inaugura, em 1991, painel de 20 metros na Estação Brigadeiro do Metrô de São Paulo. No Rio de Janeiro, é inaugurada a Sala Cicero Dias no Museu de belas Artes (MNBA). Recebe do governo francês a Ordem Nacional do Mérito da França, em 1998, aos 91 anos.

Fonte:

CICERO Dias. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa1787/cicero-dias>. Acesso em: 27 de Abr. 2017. Verbete da Enciclopédia.
ISBN: 978-85-7979-060-7


Viva a Arte!
By Lugouv.

Nenhum comentário:

Postar um comentário