25 de jan de 2012

SAMPA 458 ANOS

São Paulo - 458 anos

Foto: Sidnei Lugouv - Estação Júlio Prestes - São Paulo/SP - Brasil



Sampa


De dia atormentada e movida pelo stress
A noite serena iluminada como estrelas
Suas luzes que diferem arranha-céu
... Ruas calçadas e paredes coloridas
Que me fazem recordar
De uma infância já extinta
Sem computadores sem games
Sem influência da mídia
Tempos em que te deixei
De saudades sofria
Mas sem avisar voltei
Para te contemplar
Como nos tempos de criança
Sem reclamar de sua grandeza
Minha grande São Paulo querida
Que tanto me encanta
Terra da garoa de histórias e pessoas.

(W.Iazzetta)

Foto: Sidnei Lugouv - Estação da Luz - São Paulo/SP - Brasil


Soneto Sentimental à Cidade de São Paulo

Ó cidade tão lírica e tão fria!
Mercenária, que importa - basta! - importa
Que à noite, quando te repousas morta

... Lenta e cruel te envolve uma agonia

Não te amo à luz plácida do dia
Amo-te quando a neblina te transporta
Nesse momento, amante, abres-me a porta
E eu te possuo nua e frígida.
Sinto como a tua íris fosforeja
Entre um poema, um riso e uma cerveja
E que mal há se o lar onde se espera

Traz saudade de alguma Baviera
Se a poesia é tua, e em cada mesa
Há um pecador morrendo de beleza?

(Vinícius de Moraes)

Foto: Sidnei Lugouv - Estação Júlio Prestes - São Paulo/SP - Brasil

As estações em Sampa

Inverno em Sampa

Chuva fininha
Trânsito na Paulista
Guarda chuvas coloridos
Um brilho nos sorrisos
Sigo indo...
Verão em Sampa
Calor de matar
Um cooper para relaxar
Uma volta no Ibirá
Uma água de cocô para refrescar.
Outono em Sampa
Um friozinho danado
Um cineminha ou um teatro
Sempre com alguém, companhia agradável.
Primavera em Sampa
Uma volta no Ipiranga
Sentindo os perfumes das rosas
Ao lado da Flora.

Foto: Sidnei Lugouv - Museu do Ipiranga - São Paulo/SP - Brasil
Parabéns São Paulo
Viva a Arte!
By Lugouv.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário