28 de out de 2011

A ARTE DE CLAUDIO TOZZI


CLAUDIO TOZZI 


"Colcha de Retalhos" - 1979 - Estação da Sé

Tozzi, Claudio: Arquiteto e Mestre em arquitetura pela «Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo», inicia-se artisticamente como um pintor figurativo influenciado pela Pop Art americana (Roy Litchtenstein), e refletia os aspectos político-sociais das décadas 1960 - 1970 (Guevara; Vivo ou Morto). Em 1971, de volta de sua primeira viagem de estudo pela Europa apresenta sua primeira exposição individual e em 1975 a Associação Brasileira de Críticos de Arte lhe concede o premio de Viagem ao Exterior.


Edifício Exclusive


Painel Hotel Mercure Jardins - Tinta acrílica s/ tela colada em madeira - 185x420 cm


"Painel Novotel Center Norte" - 1,80x16m / "Execução do Painel Novotel Center Norte" - 1,80x16

É o autor de muitos painéis em espaços públicos em São Paulo e no Rio de Janeiro. Tem participado de inúmeros eventos artísticos; tais como: a «Jovem Arte Contemporânea», no MAC/USP em 1967, 1968 e 1970; que assinala um ponto importante de sua carreira; a «Bienal Internacional de São Paulo» em 1967, 1968, 1977 e 1991; o «Panorama de Arte Atual Brasileira», no MAM/SP, nas edições de 1971 e 1983; e a «Bienal de Veneza», com sala especial no Pavilhão Brasileiro, em 1976.

"Escultura" - Av. Dr.Arnaldo

É um pintor do nosso tempo que através de Guevaras, histórias em quadrinhos e parafusos metamorfoseando-se em degraus, degraus em torres ou faróis, em total desequilíbrio nos conduz através de sua obra para o trinômio forma, linha e cor, e depois, forma e cor; percorrendo o caminho da figuração à abstração. Foi a forma que escolheu para nos retratar a pós-modernidade; enquanto idéia, experiência cultural e até mesmo condição social. A crença de que o período que caracterizou a busca de um mundo racionalizado - de 1789 a 1989 - deu origem à pós-modernidade, é contestada por aqueles que indicam que esta nasceu em 15.07.1972, quando se iniciou o desmantelamento do Conjunto Habitacional Popular de Pruitt-Ioge (St. Louis) concebido e construído seguindo as teorias das moradias populares enunciadas pelo arquiteto suíço Le Corbusier o qual seguia o «princípio das máquinas de habitar»... o apogeu da ciência transformada em tecnologia aplicada.

O próprio conceito da pós-modernidade que prenuncia A perda de confiança no conhecimento moderno e no seu conseqüente progresso resultando portanto numa busca de novas bases, valores ou novos conceitos de vida, no passado ou em outras culturas, pode ser uma das razões que o levaram a não se filiar a nenhuma corrente estética ou programática. Veio depois do concretismo, conseguiu ultrapassar a pura expressão geométrica para representar, em etapas posteriores, quanto o contato com o real tornava-se mais difuso. Representou «pesquisas ópticas» e «séries como a dos parafusos», gravuras e móbiles; em suma, objetos da era tecnológica. Diria que deu forma e cores a Jean Baudrillard e Jean-François Lyotard. 

Fontes: 
Itaú Cultural
Site Oficial: http://www.art-bonobo.com/claudiotozzi/tozzi.html


Viva a Arte!

By Lugouv.

Nenhum comentário:

Postar um comentário